Itapema
Psicologa em Itapema Psicologa em Itapema Psicologa em Itapema


Já perceberam que as pessoas estão sofrendo de solidão e que estão comprando o falso sonho da conveniência e distanciando-se de um engajamento maior com a nossa vida interior ? Caminhamos em direção às tentações frenéticas que nossos ambiciosos amigos do mundo dos negócios fomentam.

Estamos nos lançando cada vez mais rápido através do tempo e do espaço e da informação, buscando essa rede de conexões. Mas ao mesmo tempo estamos nos afastando de nossas famílias, de nossos vizinhos e de nós mesmos. Surfamos em nossos egos, atualizamos nossos status e nos informamos sobre quais celebridades estão se destruindo ( e como).

Mudaram-se os reforçadores! Antigamente pedia-se uma xícara de açúcar para o vizinho novo sem maiores receios, e atualmente temos medo das pessoas. Mergulhamos no mundo virtual, no qual compra-se pela internet, namora-se pela internet, e busca-se soluções pela internet também.  Em contrapartida afasta-se das pessoas, convive-se menos, conversa-se menos, e onde terá espaço para as interações?  Ninguém mais entende o outro, vive-se num momento em que se pode estacionar na contramão por cinco minutinhos, mas se alguém estaciona errado julgamos a ferro e fogo. Vive-se num momento em que seu eu faço errado esta tudo bem, mas o outro fazer…..merece as mais duras penas.

É preciso ter empatia, ninguém peca por acreditar nas pessoas, pode até se machucar, mas verá como aprendizado, mas a falta de humildade, de aceitação, de gratidão e de empatia priva de bons momentos e tranquilidade em aceitar-se.

Precisa-se parar de se comparar com o outro, e sim, se colocar no lugar do outro. Aceitar que se alguém tem algo que que eu invejo, talvez falte a mim algumas atitudes para conseguir, ou ainda, talvez a pessoa não tenha usado de meios lícitos e poderá vir a ter consequências de seus atos, consequências tais, que eu não gostaria para mim. Precisa-se agradecer pelo que se tem, aceitar que aquele é o melhor para o momento, humildade para entender que o meu valor não esta na dependência do valor que os outros têm. Cada ser é único.

Precisa-se ter mais empatia, entender o outro, se colocar no lugar do outro, cada um tem suas razões e julgar apenas vai nos tirar do nosso foco, e da aceitação de que as pessoas são diferentes.

 

 


Compartilhe esta página!